Próximo
Anterior

Programa Educativo

CCBB Educativo Junho

01.06 a 30.06
  • Horário

    de 09h às 21h

  • Ingresso

    Entrada Franca

  • Como chegar

    Visualizar
L

Saiba mais sobre o programa

PROGRAMA CCBB EDUCATIVO  –  ARTE E EDUCAÇÃO

O Programa CCBB Educativo  —  Arte & Educação desenvolve ações que estimulam experiência, criação, investigação e reflexão através de processos pedagógicos, artísticos e curatoriais. Todo mês oferece visitas educativas, cursos, oficinas, encontros e práticas culturais. As atividades dialogam com a programação do CCBB, e destinam-se a todos os públicos, com ações inclusivas e afirmativas para estreitar as relações com a comunidade escolar, educadores, pessoas com deficiência, famílias, organizações não-governamentais, movimentos sociais, profissionais dos campos da arte, cultura e interessados.

As atividades se articulam à exposição Dreamworks Animation: A Exposição – Uma Jornada do Esboço às Telas, em cartaz por todo o mês.

Programação completa no site: www.ccbbeducativo.com

LUGAR DE CRIAÇÃO

Sábados, domingos e feriados em dois horários: 11 às 13 e 15 às 17 horas

Os educadores do CCBB desenvolvem uma programação especial visando a ocupação, a convivência, a criação e o diálogo com a arte, para as crianças e suas famílias. Também é um espaço que recebe artistas e educadores residentes, juntando-se à nossa equipe no desenvolvimento de propostas específicas, integrando adultos e crianças em processos de experiência com a arte.

Nos dias 8 e 9 de junho, as ações são dedicadas à primeira infância com as oficinas do Desde Pequeno. A proposta é integrar e socializar as crianças e os seus responsáveis com a arte. Com o mote “Construção de Personagens e Imaginação de Outros Mundos”, as crianças – com a ajuda dos responsáveis – vão confeccionar fantoches de meia, tendo como referência desenhos e a imaginação de seus nomes, biografias, temperamentos, características, e outros aspectos. A oficina retorna nos dias 29 e 30 de junho.

Duração: 2 h

 

LUGAR DE CRIAÇÃO EM LIBRAS

Domingos às 17 horas

Um Lugar de Criação com ações acessíveis à todos, promovendo a cultura surda.

Duração: 1 h

 

PROCESSOS COMPARTILHADOS

Com Mônica Hoff

Segunda, 10 de junho, 14 às 19 horas

‘Taticamente dentro, estrategicamente fora’: ideias, tropeços e reflexões sobre a educação e o sentido de educativo no contexto da arte.

Se há algo que aprendemos constantemente é que na educação a satisfação nunca poderá ser garantida. Irregular, lenta e processual, portanto viva, a educação é um processo em constante construção do próprio sentido de educação – no qual aprender (para desaprender) e desaprender (para aprender uma vez mais) são condição de existência.

Neste encontro Mônica Hoff compartilhará histórias, metodologias, contradições, equívocos, aprendizagens e processos presentes em sua prática e investigações nos campos da arte e da educação.

Mônica Hoff (1979, Porto Alegre) é artista, curadora e pesquisadora. Mestre em História, Teoria e Crítica de Arte pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atualmente cursa doutorado em Processos Artísticos Contemporâneos no PPGAV/UDESC com pesquisa sobre escolas de artistas [artists-run art schools] e como metodologias artísticas se convertem em pedagogias instituintes e instituições.

De 2006 a 2014, coordenou o projeto educativo da Bienal do Mercosul, atuando também como curadora adjunta na nona edição do evento, em 2013. Desde 2014, realiza, em parceria com a curadora Fernanda Albuquerque, o Laboratório de Curadoria, Arte e Educação, com edições realizadas em Porto Alegre, Florianópolis, Rio de Janeiro, Vitória e São Paulo. Co-dirige, desde 2016, com a curadora Kamilla Nunes, o Espaço Embarcação, em Florianópolis, onde de 2016 a 2018 coordenou dois grupos de estudos em processos curatoriais dos quais resultaram os projetos Oficina Pública de Perguntas e La Grupa. Em 2018 realizou com Kamilla Nunes, Cristina Ribas, Daniela Castro e Fabio Tremonte o projeto Escola Extraordinária.

Nos últimos anos tem realizado conferências, workshops e participado em publicações organizados por instituições nacionais e internacionais como Matadero Madrid, Museo Picasso Málaga, Liverpool Biennial, Bienal de Cuenca, Bienal da Bahia, Colección Cisneros, New Museum/NY, De Appel Arts Centre, NC-Arte, Alumnos 47, Museu de Arte do Rio (MAR), Escuela de Garaje – Laagencia, 32a Bienal de São Paulo, MASP, Fondazione Antonio Ratti, FelipaManuela, Museo Thyssen-Bornemisza, Museo Reina Sofía, MACBA, MALBA, Parque Lage, MUAC, Bienal FEMSA, Itau Cultural, entre outras.

Tem entrevistas, artigos acadêmicos e ensaios publicados em diferentes revistas e publicações nacionais e estrangeiras, e co-organizou Pedagogia no Campo Expandido, com Pablo Helguera, em 2011; e A Nuvem e Manual para curiosos, ambos com Sofía Hernandez Chong Cuy, em 2013.

 

Dia dos Namorados – o próprio (do) amor

Com Flávia Péret

Quarta, 12 de junho, 19 às 21 horas

No dia 12 de junho, Dia dos Namorados, Flavia Peret propõe uma oficina de escrita em torno do tema amor próprio: o que é próprio do amor? quando o amor torna-se impróprio? A partir da leitura de alguns poemas e do contato com obras de artistas visuais, os participantes serão estimulados a escrever sobre as múltiplas formas de viver e expressar o amor. Coletivamente, será produzida uma pequena publicação em xerox, com as produções (textos e imagens) feitos durante a oficina.

Flávia Péret é escritora, artista da palavra e professora de escrita e literatura. Mestre

em Teoria da Literatura pela UFMG, atualmente realiza doutorado na Faculdade de

Educação da UFMG sobre escrita, mulheres e resistência. Em 2018, recebeu o prêmio

Jean-Jacques Rousseau, pela Akademie Schloss Solitude (Alemanha) pelo seu trabalho

e pesquisa com a literatura. Em 2010, foi vencedora do prêmio Memória do Jornalismo

Brasileiro, promovido pelo Jornal Folha de S.Paulo, com a pesquisa “História da

Imprensa Gay no Brasil – entre a militância e o consumo”. Já publicou os livros: “Imprensa Gay no Brasil” (2011), “10 Poemas de Amor e de Susto”; (2013), “Outra”

(2014), “Escrita infinita”; (2014), “Novelinha (2016)”, “Uma Mulher” (2017) e “Os

Patos” (2018). Neste ano, vai publicar os livros “Mulher-Bomba” e “Instruções para

Montar Mapas, Cidades e Quebra-Cabeças”.

Duração: 2 horas

 

TRANSVERSALIDADES  - Personagens Animados: formas em movimento.

Com Antonio Fialho

Segunda, 17 de junho, às 19 horas.

Curso para professores e educadores, que aborda temas transversais aos campos da educação e da arte, conectando as questões presentes nas exposições, às urgências e reflexões cotidianas. Tem entre seus temas as práticas artísticas e sociais, a memória, a produção de subjetividades, de territórios e de patrimônios. É ministrado por profissionais convidados de áreas diversas. Conta com intérprete de LIBRAS.

Nesta edição, o professor Antonio Fialho apresenta como a visualidade de personagens no cinema de animação comercial é concebida para potencializar a percepção do movimento animado.

Antonio Fialho é professor de animação da EBA/UFMG; Doutor em Artes (movimento experimental para Animação, 2013), mestre em Artes Visuais (metodologia para Animação, 2005); pós-graduação no Canadá (Classical Animation, 1998) e bacharel em Belas Artes (Habilitação em Cinema de Animação, 1994). Diretor dos curtas Monolitre (1998) e Bandeira (2007), com experiência em animação para publicidade (1995-2004) e mercado internacional (1998-2005) em longas da DreamWorks SKG.

Duração: 2 horas

 

MÚLTIPLO ANCESTRAL – Bumba-meu-boi

Domingo, 23 de junho, 16 às 18 horas

Com Marcos Rhossard

A intervenção no CCBB se inspira na brincadeira do bumba-meu-boi maranhense, nos sotaques de matraca (pindaré e ilha). O boizinho é a manifestação popular onde a miscigenação étnica-cultural brasileira atinge o seu apogeu, trazendo a influência indígena, africana e portuguesa, numa mistura de danças, ritmos, teatro e arte popular.

Marcos Rhossard é arte-educador, músico e artesão. Especializado em cultura popular brasileira, ele enfatiza a importância da auto valorização de um povo como base para o crescimento individual e coletivo e propõe a prática de brincadeiras brasileiras de diferentes partes do Brasil e a utilização de instrumentos percussivos artesanais. Sua didática desperta a compreensão sobre a necessidade de uma relação consciente com a sociedade, com sua cultura e a cultura de outros povos.

Inscrições em www.ccbbeducativo.com

VISITAS MEDIADAS TEMÁTICAS

De Quarta a Segunda, às 11, 14, 16  e 18 horas.

Nessas visitas os educadores se juntam ao público, para dialogar, compartilhar e trocar olhares, leituras e produções de significados a partir das produções, práticas e poéticas presentes na exposição Dreamworks Animation – uma jornada do esboço às telas.

Os educadores estarão posicionados na galeria com proposições ao público presente.

Duração: 30 minutos

 

VISITAS MEDIADAS TEMÁTICAS EM LIBRAS

Domingos e sextas às 18 horas, quintas às 16 horas.

Seguindo os mesmos princípios da visita mediada temática, a visita em Libras acolhe pessoas surdas e/ou com deficiência auditiva, numa experiência compartilhada com os educadores, da exposição Dreamworks Animation – uma jornada do esboço às telas.  

Duração: 30 minutos

Os horários de visitas agendadas (educativas para grupos escolares e visitas mediadas em grupos) estão esgotados até o final da temporada da exposição Dreamworks Animation: A Exposição – Uma Jornada do Esboço às Telas . As visitas mediadas para público espontâneo, com os visitantes já presentes nas galerias estão acontecendo normalmente.

Serviço: 
Informações e agendamentos: (31) 3431-9440 / 9441 agendamentobh@ccbbeducativo.com

www.ccbbeducativo.com

Gostou do evento?

CCBB BHcomo chegar

Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte

Praça da Liberdade, 450 – Funcionários CEP: 30140-010 | Belo Horizonte - MG (31) 3431-9400

ccbbbh@bb.com.brFuncionamento: de quarta a segunda das 10h às 22 horas

Transporte Público
Como chegar