Próximo
Anterior

Cinema

Festival Internacional cinema e transcendência

18.12 a 06.01
CP

Saiba mais sobre o filme

Festival Internacional cinema e transcendência

De 18 de dezembro a 06 de janeiro de 2019 o quinto Festival Internacional Cinema e Transcendência chega ao CCBB em sua quinta edição. O projeto foi ampliado com muitas novidades, serão 16 dias de programação. Serão 27 filmes, entre curtas, médias e longas-metragens, produzidos em diferentes países e com linguagens que vão da animação ao documentário, da comédia ao experimental.

O Festival, dedicado ao livre pensamento, busca apresentar diferentes reflexões sobre a experiência humana na Terra. A programação aposta em títulos que promovem o autoconhecimento, ampliando a discussão sobre temas como consciência, ecologia, sociedade, desenvolvimento humano, espiritualidade, além de dialogar sobre o papel da arte como mediadora entre o sentido estético e a experiência transformadora.

A abertura desta grande festa do cinema mundial será feita com a projeção de ‘Burkina Rising – The Art of Resistence’, da diretora brasileira de origem coreana Iara Lee, criadora da Rede de Culturas da Resistência.

Além do cinema, o projeto apresenta a “Casa dos Saberes”, um espaço para reafirmar a importância da sabedoria ancestral brasileira.

 

Casa dos saberes

18 de dezembro de 2018 a 6 de janeiro de 2019

Pavilhão de Vidro CCBB

O espaço propõe um resgate de sabedorias ancestrais de diferentes tradições, expressando a valorização do conhecimento e respeito aos mais velhos, através de oficinas, vivências, atividades interativas sensoriais, palestras, conversas e contação de histórias.

Será possível fazer visitas sensoriais à árvore da vida, criada no espaço interno, com cerca de 2x2m de diâmetro. Na qual serão apresentados imagens e sons com pequenas histórias da ancestralidade indígena e africana.

O público também poderá interagir e contemplar a confecção de artesanatos por artesãos antigos de Brasília. Os sentidos como audição, visão e tato serão trabalhados através de elementos cenográficos, instalados no espaço. A Casa dos Saberes ainda promoverá Vivências, Rodas de Conversa e Palestras, contação de histórias, cantoria e muito mais.

O festival traz ainda atividades formativas, como a oficina “Polir o Arco” ministrada pelo roteirista, diretor e produtor baiano João Rodrigo Matos e dois debates sobre o tema ‘Contracultura é transcendência ou Transcendência é contracultura?’ que terão a presença de nomes como o cineasta Edgar Navarro (que participa do debate logo após a exibição de seu mais recente filme, “Abaixo a Gravidade”, no dia 21 de dezembro. No Pavilhão de Vidro do CCBB, a ‘Casa dos Saberes’, proporcionará um espaço lúdico dedicado ao encontro entre a infância e a terceira idade.

O projeto conta com a curadoria do cineasta, músico e pesquisador André Luiz Oliveira e da diretora e produtora Carina Bini.

 

Programação

Terça, 18.12

19h30 – Show de abertura – “Flauta Sagrada”, com Edwin Sota

20h30 – Monstros (3:20min) + Burkina Faso: A Arte da Resistência (72min)

Quarta, 19.12

17h – Humanidade (1h47)

19h30 – Imaginários Urbanos (25min) + Orin – Música para Orixás (74min)

Quinta, 20.12

17h – Mente Raqueada (8min) + Maputinkuy, encontro com a Terra (82min)

19h30 – Identidade (4min) + Semeie Pessoas (97min)

Sexta, 21.12

17h – Abaixo a Gravidade (1h49)

Sessão seguida de debate com a presença do diretor, Edgard Navarro, e do curador André Luiz Oliveira

Sábado, 22.12

16h – ECM (15min) + Mantra – dons sons ao silêncio (85min)

18h30 – Show “Mensagem de Fernando Pessoa”

19h30 – Trishna (12min) + Mito e Música – A Mensagem de Fernando Pessoa (92min)

Domingo, 23.12

16h – Monstros (3:20min) + Burkina Faso: A Arte da Resistência (72 min)

18h – Lucky (128min)

Quarta, 26.12

17h – Dua2Litet (5min) + Hare Krishna – O Mantra, o movimento e o swami que iniciou tudo (90min)

19h30 – ECM (15min) + Mantra – dons sons ao silêncio (85min)

Quinta, 27.12

17h – Hermógenes – Professor e Poeta do Yoga (54min) + Passos sem Pés (45min)

19h30 – Invencível (18min) + UMA – Luz do Himalaia (90min)

Sexta, 28.12

17h – Sandgirl (84min) – sessão com acessibilidade

19h30 – Lá em cima, faz frio (4min) + Doutor da Índia (89min)

Sábado, 29.12

16h – Humanidade (1h47)

19h – Felicidade (129min)

Domingo, 30.12

16h – Imaginários Urbanos (25min) + Orin – Música para Orixás (74min)

18h30 – Trishna (12min) + Mito e Música – A Mensagem de Fernando Pessoa (92min)

Quarta, 02.01

17h- Mente Raqueada (8min) + Maputinkuy, encontro com a Terra (82min)

19h30 – Abaixo a Gravidade (1h49)

Quinta, 03.01

17h – Sandgirl (84min) – sessão com acessibilidade

19h30 – Identidade (4min) + Semeie Pessoas (97min)

SEXTA, 04.01

Sessão Extra

15h – Mito Música – A Mensagem de Fernando Pessoa 

17h – Invencível (18min) + UMA – Luz do Himalaia (72min)

19h30 – Lá em cima faz frio (4min) + Canção de Deus (60min) + Hermógenes, Professor e Poeta do Yoga (80min)

SÁBADO, 05.01

15h – Câmeras Roubadas (17min) + Invencível (18min) + Passos sem Pés (45min)

17h – O Sagrado e a Fotografia, vivência com João Paulo Barbosa

19h – Monstro (3:20min) + Burkina Faso: A Arte da Resistência (72 min) 

DOMINGO, 06.01

Sessão Extra

14h15 – Mantra, dos sons ao silêncio (85min)

16h – A Cabeça e a Mão (23min) + Hare Krishna – O Mantra, o movimento e o swami que iniciou tudo (90min)

18h – Felicidade (129min)C37

 

Sinopses

Longas-metragens

Abaixo a gravidade, Brasil, 2017, ficção, 1h49min, 16 anos

Direção: Edgard Navarro

Ao descobrir que sofre de uma grave doença, Bené (Everaldo Pontes) entra num sério dilema, pensando se deve se tratar ou esperar o desenvolvimento natural da patologia. Sua amizade com a jovem e descolada Letícia, leva o homem que vive há anos isolado em uma comunidade rural no interior da Bahia, de volta para a cidade grande e todo o seu caos.

 

Burkina rising: The art of resistence in Burkina Faso (Ascensão de Burkina Faso: A Arte da Resistência), França/ Burkina, 2017, documentário, 72min, Livre

Direção: Iara Lee

Um pequeno país sem litoral na África Ocidental, Burkina Faso é o lar de uma vibrante comunidade de artistas, músicos, cidadãos engajados que carregam o espírito revolucionário de Thomas Sankara, morto em um golpe de estado liderado por seu melhor amigo e assessor Blaise Compaoré, que então governou o país como um autocrata por 27 anos, até que uma insurreição popular maciça levou à sua remoção. Hoje, o espírito de resistência e mudança política é mais poderoso do que nunca e permeia todos os aspectos da vida de Burkina. O filme é uma inspiração não só para a África, mas para o resto do mundo

Trailer: http://culturesofresistancefilms.com/burkinabe-rising#trailer

 

Doctor of India (Doutor da Índia), Índia, 2018, documentário, 1h29min, Livre

Direção: Jeremy Frindel

A história da missão do Dr. Vasant Lad para trazer o antigo sistema de saúde de bem-estar chamado Ayurveda, da Índia para o Ocidente no final dos anos 1970.

 

Felicite (Felicidade), França, 2017, ficção, 2h9min, 12 anos

Direção: Alain Gomis

Félicité canta num bar em Kinshasa. Quando seu filho de 14 anos tem um acidente de moto, ela faz uma busca frenética pelas ruas de Kinshasa, um mundo de música e sonhos. E o seu caminho cruza tabus.

 

Hare Krishna! O mantra, o movimento e o Swami que iniciou tudo, Estados Unidos, 2017, documentário, 1h30min, Livre

Direção: John Griesser, Jeah Griesser e Lauren Ross

Documentário sobre a vida de Srila Prabhupada, o indiano Swami de 70 anos que chega aos Estados Unidos sem apoio ou dinheiro e incita um fenômeno espiritual mundial, hoje conhecido como o Movimento Hare Krishna.

 

Humanness (Humanidade), Alemanha, 2017, documentário, 1h47min, Livre

Direção: Oliver Stritzke e Dennis Klein

O filme documenta o ambiente de pessoas com deficiência em todo o mundo, para entender se os direitos humanos são universais de fato. Com material de 23 nações diferentes, ele captura uma coleção de histórias pessoais que refletem questões fundamentais, como quem somos ao próximo? O que nos faz humanos?

 

Lucky, Estados Unidos, 2017, Drama/comédia, 1h28min, 12 anos

Direção: John Carroll Lynch

Lucky encontra-se no precipício da vida, empurrado para uma jornada de auto-exploração, em direção ao que é tão frequentemente inatingível: a iluminação. Direção de estreia do ator John Carroll Lynch, ‘Lucky’ é ao mesmo tempo uma carta de amor à vida e à carreira de Harry Dean Stanton, bem como uma meditação sobre mortalidade, solidão, espiritualidade e conexão humana.

 

Mantra: Dos sons ao silêncio, Estados Unidos, 2017, documentário, 1h25min, Livre

Direção: Georgia Wyss, Wari OM

A nova música e o fenômeno social do canto, que se concentra nas pessoas comuns que estão encontrando cura e uma sensação de paz interior cantando mantras junto com outras como elas. O filme apresenta os artistas que são o foco deste novo movimento baseado na música. É um filme sobre espiritualidade – não sobre religião – e sobre pessoas se reconectando com seus verdadeiros eus e uns com os outros.

 

Maputinkuy, encuentro com la Tierra (Maputinkuy, Encontro com a Terra), Chile, 2019, documentário, 82min, Livre

Direção: Osvaldo Oyarce Cataldo

Felipe, Coral e Jaime estão convencidos de que a solução para os problemas humanos, ambientais, espirituais, econômicos, alimentares, ecossistêmicos e educacionais que o mundo enfrenta hoje está na sabedoria dos povos nativos. Os três organizam uma reunião intercultural, com 4 dias de cerimônias que celebram a vida através dos 4 elementos vitais: fogo, ar, água, terra, além de oficinas de diferentes temas, nas montanhas de Palguín alto, Pucón, Chile, em um lugar que para os Mapuches é sagrado o “wallmapu”, conectando diferentes expositores e portadores de sabedoria ancestral com pessoas que vêm de diferentes partes do planeta e que estão dispostas a mudar o mundo e alcançar o desejo de uma vida plena que os nativos profetizam.

 

Mito e música: A mensagem de Fernando Pessoa, 2018, documentário, Livre

Direção: Rama de Oliveira/André Luiz Oliveira

O grande poeta português Fernando Pessoa passou 22 anos da sua vida (de 1912 a 1934) escrevendo, entre outros textos, os 44 poemas da ‘Mensagem’, único livro concluído que publicou em vida. André Luiz Oliveira levou 30 anos (de 1985 a 2015) para concluir a gravação das 44 músicas criadas para cada poema do livro. O documentário aborda aspectos polêmicos do mito que envolve o livro ‘Mensagem’ e narra o histórico de realização musical desse imenso projeto.

 

Orin – Música para os Orixás, Brasil, 2018, documentário, 74min, Livre

Direção: Henrique Duarte

A música popular brasileira foi muito influenciada, ao longo do tempo, por terreiros de Candomblé, precursores de gêneros que deram origem ao samba, ao baião e até mesmo ao funk carioca. Para entender melhor como funciona a resistência musical e espiritualista dos Orixás, diversos sociólogos, artistas e etnomusicólogos analisam as cantigas sagradas chamadas de Orin na linguagem iorubá.

 

Sandgirl, Alemanha, 2017, documentário, 84min, Livre

Direção: Mark Michel

O que significa ser um prisioneiro de seu próprio corpo e, ao mesmo tempo, invisível? ‘Sandgirl’ nos leva ao mundo único da vida e às experiências de Veronika Raila, uma jovem autista, hipersensível e seriamente incapacitada desde o nascimento. Raila sabe como é não ser vista como pessoa. Quando criança, foi diagnosticada com um QI de 0. Apenas seus pais se recusaram a acreditar nisso. Hoje, Raila publica prosa e poemas, estudos bibliográficos e teologia. Juntamente com o diretor Mark Michel, ela revê sua própria vida neste filme. A combinação de suas poesias e pensamentos com uma observação cotidiana delicadamente filmada, os disparos da natureza poética e as rápidas, porém poderosas, animações de areia da artista Anne Löper se unem em um ensaio sobre liberdade e percepção.

 

UMA – Luz do Himalaia, Índia/Brasil, 2018, ficção, Livre

Direção: Ananda Jyothi

O filme retrata a busca de todo ser humano na perspectiva do sagrado Rio Ganges, que representa a sabedoria ancestral da Índia. Milhares de buscadores, há milhares de anos, andam e continuam a andar na beira do rio, iluminados pelo fluxo de luz. “UMA – Luz do Himalaia” é uma coprodução audiovisual indo-brasileira do Perumeen Cinema e do Vendanta Life Institute, no Rio de Janeiro.

 

Weed the people (Semeie pessoas), Estados Unidos, 2018, documentário, 1h37min, Livre

Diretor: Abby Epstein

A cannabis tem estado fora dos limites para médicos e pesquisadores nos EUA nos últimos 80 anos, mas recentemente cientistas descobriram suas propriedades anti-cancerígenas. “Weed the People” acompanha a luta de pacientes que sofrem de câncer e suas famílias contra a legislação mesquinha e o proclamado objetivo do Procurador Geral Jeff Sessions de reverter as reformas de maconha em estados como a Califórnia.

 

Médias-metragens

Stolen câmeras (Câmeras roubadas), Suécia/Arabia, 2017, documentário, 17min, 16 anos

Direção: Equipe Media Rafilm

Os membros do grupo ativista de vídeo ‘Equipe Media’ lutam para manter suas câmeras. Eles as usam para documentar as violações dos direitos humanos dos reinos marroquinos em sua última colônia na África. Nenhum jornalista pode entrar no Sahara Ocidental ocupado. As únicas imagens que conseguem sair do território são as que a Equipe Media consegue filmar em segredo, escondendo-se em telhados e arriscando consequências severas. Eles filmam manifestações pacíficas sendo atacadas por policiais e militares, ferimentos e histórias de vítimas da brutalidade policial. Esta é uma história sobre quebra de uma censura absoluta com imagens únicas de uma área onde as autoridades marroquinas conseguiram implementar um bloqueio quase total da mídia.

 

A cabeça e a mão, Canadá, 2018, documentário, 23min, Livre

Direção: Marc Serpa Francoeur

Situado numa remota ilha portuguesa, “A cabeça e a mão” é um retrato contemplativo de duas senhoras com necessidades especiais que passaram décadas vivendo juntas e, apesar dos desafios que enfrentaram, encontraram alegria na sua independência e irmandade.

 

A step without feet (Passos sem pés), Alemanha, 2018, documentário, 45min, Livre

Direção: Lydia Schamschula e Jeremy Glaholt

Documentário sobre conectar e compartilhar culturas através de temas universais como música, arte, família e amigos. No cenário das belas paisagens de inverno de Berlim, capturamos o cotidiano de sete extraordinários sírios exilados de seu país de origem. Devido a estereótipos equivocados perpetuados pela mídia, ser rotulado de “refugiado” tende a ter conotações negativas. Essa identidade negativa geralmente os leva a se sentirem isolados. O objetivo deste filme é combater a constante desumanização da mídia dos exilados sírios. Uma vez que você vê o indivíduo, face a face, você enxerga sua humanidade.

 

Hermógenes: Professor e poeta do Yoga, Brasil, 2015, documentário, 54min, Livre

Direção: Bárbara Tavares

Um documentário sobre a vida e obra do prof. Hermógenes, um dos precursores do Yoga no Brasil, autor de 30 livros. Uma personalidade brasileira que inspirou a vida de muitas pessoas através da filosofia oriental, Yoga e meditação, que ganha cada dia mais adeptos. O filme inclui material inédito e raro de seu acervo pessoal de viagens à Índia, palestras, seus encontros com mestres como Sai Baba, Chico Xavier e entrevistas com personalidades brasileiras como Marcelo Yuka e Jackson Antunes.

 

Imaginários urbanos, Brasil, 2017, documentário, 25min, Livre

Diretor: Glauber Xavier

Inquietações de um grupo de pesquisadores e artistas dispostos a estimular reflexões sobre as representações simbólicas da cidade de Maceió através da relação entre arte, corpo e cidade.

 

La cuarta ola (Invencível), Argentina, 2018, documentário, 18min, Livre

Direção: Elena Jayat e Malena Chabrol

Quando três documentaristas param uma mulher que faz compras em uma farmácia para perguntar “você é feminista?”, um desenvolvimento histórico e contemporâneo em torno do senso comum do feminismo é desencadeado. A mulher responde: “Eu não gosto dos extremos”, no entanto, há uma maré verde de mulheres lutando nas ruas pelos seus direitos. Assim como centenas de anos atrás outras mulheres fizeram em diferentes partes do mundo, agora é a vez da Argentina, um exemplo da luta feminista na América Latina.

 

Curtas-metragens

Dua2litet (Dua2idade), Espanha/Suécia, 2018, ficção, 5min, Livre

Direção: Rafael Montezuma

Este é um caminho para a exploração do subconsciente. O personagem principal, um jovem artista chamado Charlie, mostra seus medos, sofrimentos e anseios através de uma mulher. É uma jornada em direção ao mundo interior, onde os personagens são fundidos e entrelaçados, criando confusão, embora refletindo o caráter dual do ser humano.

 

ECM, Espanha, 2018, ficção, 15min, Livre

Direção: Rubén Jiménez Rodríguez

John começa a ver luzes e objetos estranhos que o confundem. Sua namorada não quer passar por essa situação novamente, então sua vida cai por terra. Mas John continua apático e se pergunta o que está realmente acontecendo. Para sua sorte, o guia sempre vem para quem precisa.

 

Identity parade (Identidade), Espanha, 2017, ficção experimental, 4min, Livre

Direção: Gerard Freixes Ribera

O que uma máscara esconde? Quem está atrás da máscara? Um filme feito manipulando filmagens arquivadas.

 

Lá-haut, II fait froid (Lá em cima, faz frio), França, 2018, ficção, 4min, Livre

Direção: Milot Annabelle

Amandine é uma garota alegre e inteligente. Ela mora sozinha com o pai. Parece forte, mas na verdade esconde uma rachadura. “Há uma falha em tudo e é por lá que a luz entra”, já disse Leonard Cohen.

 

Mostro (Monstro), Argentina, 2017, animação, 3:20min, Livre

Direção: Camilo Rodríguez e Gustavo Ponce

Neste stop motion de animação, dois personagens se encontram numa discussão sobre um objeto curioso. Finalmente suas palavras os protegem.

 

The hacked mind (Mente Raqueada), Alemanha, 2018, documentário, 8min, Livre

Direção: Diana Frankovic

Os limites entre arte, espiritualidade, ciência e tecnologia. O filme apresenta uma história que desafia e estimula o público a seguir uma jornada interior através da experiência da imagem e do movimento consciente. Este filme experimental mostra desafios inevitáveis que enfrentaremos na jornada de nossas vidas. É uma jornada no espaço interior. É uma interação de vídeo e som. ‘The Hacked Mind’ segue um método de limpeza de chakras que é sentido internamente através da visualização. O som segue as frequências específicas que estão associadas a chakras específicos, porque podemos sentir fisicamente cada chakra quando ele é ativado pela sua frequência específica. A ressonância harmônica é a base da trilha sonora criada para este filme.

 

Trishna, Nepal, ficção experimental, 12min, Livre

Direção: Sajan Bhandari

Na remota aldeia de Nuwakot, no Nepal, reside uma família de mãe e filho onde o pai morreu alguns anos atrás. Sem o pai, Prakash, o filho de 16 anos, é responsável pelo lar e por sua mãe, Janaki, que sofre de doenças cardíacas. Prakash compra remédios para sua mãe toda vez que vai ao mercado, para vender vassouras feitas por ele e pela mãe. A família não pode pagar o tratamento por causa de sua pobreza. Prakash só pode pagar alguns analgésicos com o dinheiro que ganha. Janaki se recusa a tomar remédios argumentando que não vão ajudá-la e, por outro lado, sofre com os sintomas, sem conseguir sana-los. Prakash encontra Janaki do lado de um rio, olhando para o local onde seu pai se afogou. Naquela noite Janaki fala sobre seu pai e como ela está se sentindo. Tarde da noite, enquanto eles dormem, um novo encontro acontece.

 

Informações gerais

Local: Galeria II e Pavilhão de Vidro.

Ingressos: Entrada gratuita, mediante retirada de senha a partir de uma 1 hora antes do início da sessão.

festivalcinemaetranscendencia.com

Gostou do evento?

CCBB DFcomo chegar

Centro Cultural Banco do Brasil Brasília

SCES, Trecho 02, lote 22 CEP: 70200-002 | Brasília (DF) (61) 3108-7600

ccbbdf@bb.com.brFuncionamento: de terça a domingo, das 9h às 21 horas

Como chegar